logo live news
Celebs

Dakota Johnson ficou chocada ao ser envolvida em julgamento de Johnny Depp e Amber Heard

07/01/2022 7:49 PM

Nos últimos dois meses, o caso de difamação do ator contra Amber Heard chamou atenção do mundo – e de alguma forma incluiu um vídeo viral intitulado, “O MOMENTO EXATO que Dakota Johnson SOUBE que Amber Heard foi  VIOLENTA com Johnny Depp”.

No clipe, que não fazia parte das provas, Depp mostra seu dedo ferido para Dakota enquanto eles estavam promovendo o filme Aliança do Crime, no Festival de Cinema de Veneza, em 2015. A atenção que o vídeo recebeu, fez com que Johnson temesse que ela pudesse ser chamada para testemunhar.

Durante o julgamento, Depp testemunhou que a ponta de seu dedo cortada foi supostamente causada por Heard durante uma briga que eles tiveram na Austrália, em março de 2015. Depp afirmou que Heard jogou uma garrafa de vodka nele e a quebrou em sua mão. Ela negou a acusação.

Dakota revelou que ficou chocada ao ver quantas pessoas estavam acompanhando ao caso. “Eu não posso acreditar que as pessoas estão assistindo [o julgamento] como se fosse um show”, disse ela à publicação. “É como um drama de tribunal e meu coração se parte. É tão, tão, tão louco. Os humanos são tão esquisitos. A Internet é um lugar muito, muito selvagem.”

Após 13 horas de deliberações, o júri concedeu US$ 10 milhões a Depp em danos compensatórios e US$ 5 milhões em danos punitivos. A juíza Penney Azcarate, do Tribunal de Justiça do Condado de Fairfax, mais tarde reduziu os danos punitivos para US$ 350 mil, que é o limite legal do estado, fazendo com que seus danos totais ficassem em US$ 10,4 milhões.

Quanto ao contra-processo de Heard, o júri concedeu à atriz US$ 2 milhões em danos compensatórios.

Na entrevista, Johnson também discutiu a tendência da cultura do cancelamento. Embora ela não tenha mencionado Depp ou Heard pelo nome, Johnson argumentou que as pessoas podem evoluir e mudar com o tempo.

“O que eu luto quando se trata da cultura do cancelamento é o termo cultura do cancelamento – todo o conceito por trás do cancelamento de um ser humano, como se fosse um compromisso”, disse ela. “Ninguém não vai cometer erros em sua vida. O ponto de estar vivo é descobrir. Machucar outras pessoas, ferir outras pessoas não é bom. Há consequências para essas ações. Mas o conceito do universo do Twitter de decidir se alguém de repente não existe mais, é horrível, de partir o coração e errado.”

Ela também lembrou os leitores de olhar para a população em geral. “O Twitter compõe o quê, 12% do mundo?”, disse a atriz, que não tem uma conta na rede. “Quero dizer, algumas dessas pessoas não sabem nem soletrar.”