logo live news
Politica

Dia internacional do combate à corrupção: “O Brasil se tornou um país ineficiente”

12/09/2021 5:07 PM

Janiel Kempers, publicitário e especialista em marketing político, comenta o cenário e consequências de escândalos de corrupção no país

Dia 09 de Dezembro é oficialmente o dia internacional de combate à corrupção. A data foi criada para fortalecer e incentivar a cooperação internacional quanto a medidas de prevenção contra atos de corrupção. Com um cenário político conturbado, uma data como essa é facilmente relacionada ao dia a dia do povo brasileiro.

O publicitário e especialista em marketing político Janiel Kempers acredita que os escândalos de corrupção tornaram o Brasil um país ineficiente. “A corrupção no país, seja ela por parte da população ou dos políticos, causa danos quase irreversíveis, em áreas vitais como saúde e educação”, explica.

Para ele, o cenário político do Brasil tem um padrão de corrupção generalizada independente de posicionamentos. “Não importando o partido, vemos diariamente notícias de escândalos envolvendo políticos e empresas. Isso cria na população uma ideia de que ‘se o governo é corrupto, eu também vou ser’”, alerta o especialista.

Kempers explica ainda que o surgimento deste ciclo vicioso de atos desonestos, acaba por prejudicar a população do presente e a do futuro, pois, as ‘pequenas corrupções’ do dia a dia acabam sendo normalizadas, o que estimula atos mais graves e, assim, o Brasil não consegue sair de um cenário devastador.

Além disso, Janiel Kempers conta que a corrupção é negativa até mesmo para os que a praticam. “O próprio estado gasta dinheiro para combater a corrupção, que ele pratica. É extremamente contraditório”, opina.

O publicitário, que tem vasta experiência na política, acredita que os casos de corrupção aumentam no país pela crescente crença na impunidade. “Falta uma punição severa a quem pratica tais atos. Na maioria das vezes, a justiça é ineficiente e arquiva parte dos escândalos de corrupção. Isso causa uma vergonhosa degradação da política brasileira”, afirma.